"os arranjos agressivos tornam as melodias ainda mais fortes, por resistir aos ataques" - New york times

"Uma floresta de experimentações" - Backstage

"radicaliza a proposta de provocar os limites formais das canções - e potencializa sua beleza clássica com a estranheza que lança sobre elas" - O GLOBO

"Fora do normal" - G1