Claroescuro - por Miguel Jost

Um dos dez artistas que você deveria ter conhecido em 2012
— Tim Wilkins - NPR.ORG
Cantor e Compositor Brilhante. Sua poesia e sonoridade são raras!
— João Pimentel - O Globo

       A Música popular brasileira, por muitos motivos que nos são íntimos e ao mesmo tempo misteriosos, criou ao longo do século passado uma topografia onde é possível se deslocar por diversos níveis de profundidade, de envolvimento, e de (des)compromisso. Ao mesmo tempo, no decorrer dessa história, constituiu-se como um lugar privilegiado para revelação de aspectos novos da realidade e a para um exercício de ousadia artística.

O trabalho ClaroEscuro, do compositor Pedro Moraes, atua nestas duas faixas. Se por um lado, Pedro demonstra neste trabalho ser um habilidoso ourives para esculpir sua música com elementos harmônicos, melódicos, rítmicos e poéticos que estão a nossa disposição nesta topografia musical, por outro, é possível enxergar em seu disco, e principalmente em suas composições, uma original leitura do que entendemos como a forma-canção.

Vanguarda dos neo-Tradicionalistas
— Tom Pryor - NatGeo Music

É evidente que esta ideia de um diálogo entre tradição e inovação já se tornou um tema recorrente na história da canção brasileira, mas é justamente por causa de artistas como Pedro Moraes que podemos falar dela como uma força motriz da nossa música. Principalmente, porque em trabalhos como ClaroEscuro, a defesa e a afirmação da vitalidade desse diálogo não são um mero exercício para anunciar uma postura eclética há anos tão em voga na música popular brasileira, mas sim uma possibilidade de tornar essa interlocução entre a história e o que chamamos de contemporâneo, algo que produza novas formas de escuta e que atente para as questões subjetivas que nos atravessam e afetam hoje.

Apesar de estarmos falando do primeiro disco “oficial” da carreira solo do compositor, é necessário constatar que Pedro Moraes já tem uma sólida trajetória na música, o que confere a este trabalho uma maturidade rara para quem está debutando no mercado fonográfico brasileiro.

Um dos 10 melhores CDs de world music de 2010
— Siddharth Mitter - Boston Globe
Momento de Êxtase
— Estado de Minas

Desde 2000, quando duas canções suas foram gravadas pela cantora mexicana Magos Herrera, o que também o levou a sua primeira experiência de uma turnê internacional, o compositor vem trilhando um caminho que o levou a sucessivas experiências profissionais fora do Brasil (Ásia, Europa, EUA e América Latina, lugares onde colecionou uma série de sucessos e críticas favoráveis ao seu trabalho), e também a relevantes trabalhos dentro do país, tanto com o grupo É Com Esse Que Eu Vou, com o qual gravou um disco e excursionou, como em sua carreira solo, que o levou, por exemplo, a participar (ao lado de nomes como Alcione, Vanessa da Mata e Teresa Cristina) do Programa Som Brasil da Rede Globo de televisão em homenagem a Cartola.

Esta maturidade também é fruto de uma espécie de “obra em progresso” que vem moldando o álbum ClaroEscuro desde 2008. O trabalho, que teve algumas pequenas tiragens ao longo dos últimos anos, foi depurado por Pedro (junto a arranjadores e instrumentistas como Armando Lobo, Thiago Amud, Daniel Marques, Ricardo Sá Reston e Marcelo Caldi) até chegar a sua versão definitiva. Essa versão, finalizada em 2010, e que conta com participações especiais de Alcione e André Rio, já foi, inclusive, lançada nos EUA pelo selo Caravan Music e eleito pelo Boston Globe como um dos dez melhores discos de world music deste mesmo ano.

No lançamento do CD Claroescuro - Teatro Rival. Foto de Camilo Lobo

Para nós, que podemos finalmente ter em mãos esse precioso trabalho, a percepção ao ouvir ClaroEscuro é a de transitar por um lugar em que a tensão e os contrastes, já evocados pelo próprio título do álbum, se tornam elementos de uma expressão poética, de uma procura, de uma inquietação de artista. Pedro, intencionalmente e com muita habilidade, aposta justamente no acirramento de oposições como claro e escuro, entre a história e o contemporâneo, entre o ritmo contagiante e o mergulho em obscuridades, para apresentar para o seu público um filtro pessoal e extremamente sensível do mundo que vivemos hoje.

Este é certamente um disco que nos abre muitas questões pra pensar e refletir, mas como o melhor da música brasileira, podemos ter a certeza que sua grande qualidade ainda é poder simplesmente escutá-lo, deixando-o que fale por si mesmo, através desse jogo de luz, contraluz, de cores, sabores e de muitas outras sensações. É isso que Pedro Moraes nos oferece no seu multicolorido ClaroEscuro.

Miguel Jost - Pesquisador Musical - PUC-RJ

Pedro Sá Moraes

Zingareio Produções, Santa Teresa, Rio de Janeiro, RJ, Brazil

Brazilian singer-songwriter. "One of the 10 artists you should have known in 2012" - NPR.ORG